20 de julho de 2011

Letra cursiva na Educação Infantil

Esta semana foi publicada no g1 uma reportagem dizendo que nos EUA começaram a abolir o ensino da letra cursiva. Leia na íntegra aqui

Alguns estados americanos avaliaram que o mais importante é se concentrar no aprendizado das letras bastão (de forma). Aqui no Brasil, dentro da proposta construtivista, utilizamos a letra bastão para alfabetizar, pois ela é de fácil visualização e não exige movimentos mais complexos na hora da escrita.


"O argumento dos defensores desta lei, que provocou polêmica nos Estados Unidos nas últimas semanas, é de que hoje as crianças praticamente não necessitam mais escrever as letras com caneta ou lápis no papel. Seria mais importante elas aprenderem a digitar mais rapidamente, já que quase toda a comunicação acontece por meio de letras de forma nos celulares e computadores."

A criança moderna, que tem acesso a todo tipo de mídia, que lê e escreve no computador, precisa de conteúdos mais instigantes do que simples treinos de caligrafia. A sociedade já não exige mais que a pessoa tenha uma boa letra para escrever textos, já que tudo é feito no computador!

"As escolas devem decidir se pretendem ensinar letra cursiva, mas recomendamos que deixem de ensinar e se foquem em áreas mais importantes. Também seria desnecessário encomendar apostilas que ensinem letra cursiva", diz um memorando do Departamento de Educação de Indiana. "
-Quanto tempo se perde na Educação Infantil com atividades de cobrir pontilhados, com cadernos de caligrafia que acabam estressando a criança e fazendo-a perder o estímulo de frequentar a escola!

"Esses Estados, assim como outros 40, integram o Common Core Stated Standards Initiativa (Iniciativa para um Padrão Comum de Currículo), responsável por tentar padronizar o ensino básico nos Estados Unidos. O grupo defende abertamente o fim do ensino da letra cursiva.
No Brasil, principalmente na última década, há uma nova metodologia no ensino da letra cursiva, mas não seu abandono nas escolas. "Não conheço escola que não a utilize mais", afirma Fernanda Gimenes, diretoria pedagógica da área de português do colégio bilíngue Playpen. "Ela perdeu a prioridade. Antes, o aluno era alfabetizado na cursiva. Hoje, mais do que ensinar uma técnica, queremos desenvolver as habilidades de leitura e escrita."

Separar o aprendizado da cursiva como requisito para que uma criança seja considerada alfabetizada é uma conquista recente, praticamente da última década. "Vemos como uma evolução, não uma condição", diz Esther Carvalho, diretora-geral do Colégio Rio Branco. Mesmo que o aluno opte pela letra bastão no futuro, o aprendizado da cursiva, segundo Esther, é fundamental para desenvolver a coordenação motora fina. As informações são do jornal O Estado de S. Paulo.
Não concordo que a escrita cursiva é fundamental para desenvolver a coordenação motora fina, existe uma série de atividades muito mais divertidas que estimulam a coordenação: brincar com massinha, cortar e recortar papel, desenhar e colorir. Utilizar o mouse no computador, fazer atividades utilizando o paint, tudo isso trabalha a coordenação motora fina!

Não sou contra o ensino da letra cursiva, só acho um absurdo escolas que fazem questão que a criança recém alfabetizada tenha uma letra perfeita e cobram o aprendizado da letra cursiva dos professores da Educação Infantil. Sempre digo que não vou perder o tempo precioso em sala de aula fazendo pontilhados para a criança cobrir. Alguns alunos fazem o próprio nome com a letra cursiva, eles tiveram interesse, começaram a tentar escrever seu nome "de mãozinha dada"(como eles chamam a letra cursiva) e eu achei melhor ensinar a forma correta, tudo naturalmente, sem cobranças e aceitando cada tentativa de aprendizagem! 

A criança na Educação Infantil tem que brincar muito, criar e recriar, precisa ter a sua curioisidade estimulada através de projetos!
Fiquem atentos às escolas que cobram letra redondinha, que mandam 3 folhas de tarefas e entopem as crianças de conteúdo na Educação Infantil! Informem-se, conheçam os parâmetros curriculares da Educação Infantil e veja quais são as necessidades das crianças nessa fase!

14 comentários:

  1. Que bom que você fez este post, pois talvez essa informação passasse batido por mim!
    #amigacomenta

    ResponderExcluir
  2. Não sou da área da educação, mas acho importante as crianças saberem sim a letra cursiva, não no ensino infantil, mas no fundamental (como é na escola dos meus filhos, eles lá vão aprender a letra cursiva só no 2º ano).

    E ter uma letra pelo menos legível, pois não acredito que a escrita manual será "abolida da face da Terra" então as pessoas tem que pelo menos entender o que se escreveu. Como por exemplo os médicos, que já se sabe de muitas histórias que paciente até morreu por comprar remédio errado porque a farmácia entendeu errado o que estava escrito!

    Mas como disse, não sou especialista na área, essa é só minha opinião!

    Bjos

    Elaina #amigacomenta
    http://www.vidademae.net/

    ResponderExcluir
  3. Ótima abordagem, Melissa! Li hoje sobre esta notícia e fiquei pensando no assunto. Gosto muito de escrever, assim como aprecio quem tem letra bonita (a minha não é mais desde a faculdade...), porém, mais que letra bonita, prefiro quem escreva "direito", mesmo que a letra não seja lá essas coisas...

    ResponderExcluir
  4. Adorei este post Melissa. Acho a escrita cursiva importante mas penso que ela não deve ser o foco de uma alfabetização e principalmente de uma Ed. infantil. De nada adiantaria aos pequenos saber letra cursiva se ainda não se conhecerem enquanto corpo, enquanto ser humano que tem sentimentos... E para que se conheça dessa forma eles precisam e muito das brincadeiras da Ed. Infantil. Posso postar esse texto lá no meu blog!? Abraço grande!

    ResponderExcluir
  5. Que discussão mais bizarra!
    Parece-me que faltam conhecimentos sobre os processos de aprendizagem. Essa discussão sobre técnicas de escrita deveria estar inserida em um contexto de maior abrangência sobre a aquisição do conhecimento. Acho que Piaget e Vigotsky não estão superados. Seus estudos foram realizados em uma época em que não havia tecnologia doméstica ou escolar para substituir a escrita manual,mas isso não invalida a teoria de que passamos por diversas fases de desenvolvimento e que nos apropriamos dos conhecimentos atrávés de instrumentos. A criança não aprende a calcular, se aprender somente a mexer nos botões da calculadora. Ela poderá aprender a técnica da sequência de botões, mas não aprende a essência, ou seja: que tipo de cálculo vai escolher para resolver os problemas. Em relação à escrita, a criança poderá aprender pela letra bastão ou pela letra utilizada nos diferentes suportes: outdoors (Coca Cola, Shopping), placas , anúncios de TV, etc. Ela vai compreender que existem diferentes tipos de letras, quando tiver o amadurecimento neuro-psico-motor adequado. Aí ela poderá aprender os Kanjís, hieróglifos da Pedra de Roseta e as diferentes opções de escrita na janela "tipo de letra" do seu computador. Todas as linguas do planeta têm a sua versão linear, coloquial, artística e aquela que é habitualmente usada para impressâo de jornais , livros e folhetos.A letra do povão. Limitar a oferta de conhecimento à criança é uma castração cultural. É formatação de cérebros para pensarem em uníssono. É a essência do nazismo!!!! Cruz credo, gente!!!! Vamos tentar pensar a educação como um bem de cultura, que acrescenta valor ao ser humano e não como um amontoado de técnicas. Obrigada por terem lido esta mensagem. Ieda dos Reis

    ResponderExcluir
  6. Que legal, não sabia que isso estava sendo discutido. Eu nunca tinha parado pra pensar isso, realmente é um ponto bem interessante. Realmente não acho importante que eles saibam fazer a letra cursiva (e ainda ser bonita) assim que são alfabetizados. Mas acho que com o tempo é importante sim, até porque escrever com letra cursiva é mais rápido e prático depois que se pega o jeito. Mas como disse a Sílvia lá em cima, prefiro que escrevam corretamente, independentemente da letra...rs

    Beijos
    Tati
    Mulher e Mãe
    #amigacomenta

    ResponderExcluir
  7. Obrigada pessoal pelos comentários!Fico indignada com essa cobrança em cima da Educação infantil...Vamos deixar nossas crianças brincarem mais!!
    Vanessa,claro que vc pode publicar no seu blog!
    Alguns médicos já nem escrevem mais a receita,eles fazem tudo direto no computador e imprimem para o paciente!
    A letra cursiva não vai sumir assim,da noite para o dia,mas também não podemos deixar que ela seja mais importante do que o processo de construção do aprendizado!!Bjs

    ResponderExcluir
  8. Eu sou a favor de tudo ao seu tempo, como já falei p/ a Melissa, meu filho tem 9 anos e teve seu início escolar em uma creche pequena construtivista, ficou lá por dois anos e depois o mudei para um colégio tradicional (pq eu e o pai sempre estudamos em colégio tradicional e o construtivismo p/ nós era um método novo), me arrependi amargamente e depois de muitos problemas voltei c/ ele há um ano p/ uma escola construtivista novamente. Quero deixar claro que nem todas as escolas são iguais, assim como nem todas as crianças tb. Mas adoro a maneira como as escolas construtivistas conduzem as coisas. Meu filho voltou a ser criativo e vejo o seu desenvolvimento claramente, lá no outro colégio a preocupação deles era só com o índice de aprovação no vestibular o que eu sinceramente ainda não me preocupo e engana-se quem tem a visão que escola construtivista é sempre a maior bagunça, pq era assim que eu pensava...eles tem regras e são disciplinados, mas respeitam e avaliam e muito cada criança como cada uma é.

    ResponderExcluir
  9. Mel, adorei o post!
    Sou contra tb a letra cursiva na educação infantil e aquelas atividades de "pontinhos" e "passar por cima".
    Tudo muito bem falado aqui!
    Mega abraço, Genis.

    ResponderExcluir
  10. Melissa, adorei seu post e estou de pleno acordo com vc. Concordo que ensinem a letra cursiva no Ensino Fundamental, depois que a criança já está alfabetizada e aos poucos, de forma natural e prazerosa. Na Educação Infantil, também considero um desperdício de tempo oferecer atividades de pontilhados pras crianças aprenderem letra cursiva. Absurdo!!! Gostei muito, não tinha lido essa reportagem!

    ResponderExcluir
  11. Gostei muito desta postagem parabéns

    ResponderExcluir
  12. Oi,

    Minha filha aprendeu a letra bastão, método construtivista, mas agora, no 2º ano começará a aprender a letra cursiva. A letra cursiva é necessária em todo o momento, não adianta fugir desse método. Na vida profissional, na redação do vestibular e concurso, então porque não ensinar. A criança deve ter contato para não sofrer mais tarde. Essa é minha opinião como profissional, mãe e educadora (sou formada em biologia). Grd Beijo

    ResponderExcluir
  13. Melissa,adorei a postagem.
    Que bom encontrar quem pensa como eu. Acho realmente absurdo crianças na Educação Infantil fazendo treinamento para escrever letras cursivas que não significam nada para elas. Primeiro tem que ler. Depois, escrever em letra bastão ou mesmo no computador, porque não?

    Há muitas crianças que não sabem ler e fazem cópias perfeitas em letra cursiva. De que adianta?

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Concordo contigo Carmela, um absurdo total, depois a criança acaba tomando horror a estudar. Imagina q alguns meses atras a professora do meu filho de 5 anos mandou ele escrever de 1 a 30 tres vezes, como dever de casa.afff!!!sem noção!tudo isso sem quantidade e escrever a letra a com duas pernas. pirou!!! E como ele nao conseguia ainda chamou ele de lesma, no final ele nao queria ir mais!!!

      Excluir

Deixe seu comentário aqui, ficaremos muito felizes!!